Melanoma

O que é melanoma

O melanoma é uma manifestação grave do câncer de pele, que atinge cerca de 232 mil pessoas a cada ano em todo o mundo.1 No Brasil, a região sul é a que apresenta o maior número de casos de melanoma, por conta das características da população, especialmente da pele mais clara.2 Apesar disso, pode haver casos de melanoma em qualquer região do país.2

Hoje, o principal fator associado ao crescimento da incidência de melanoma é o aumento de exposição ao sol, responsável por até 65% dos casos.3 A exposição a substâncias químicas, como arsênio e solventes, também podem ter implicação no desenvolvimento do melanoma.4

O câncer de pele é o tipo mais comum entre todos os cânceres e, embora o melanoma represente apenas 5% da totalidade dos cânceres de pele, ele é considerado o tipo mais grave e é também responsável por quase todas as mortes em decorrência do câncer de pele.5 Isso porque, se não diagnosticado nas fases iniciais, há uma grande chance de o melanoma avançar para os nódulos linfáticos e outros órgãos do corpo, como cérebro, pulmões, ossos e fígado (a chamada metástase).6

Melanoma é um tipo de câncer que em geral se origina na pele, mas que também pode se originar em mucosas como no ânus, seios da face e nas células da retina.

- Dr. Antonio C. Buzaid, médico membro do Centro de Oncologia do Hospital Israelita Albert Einstein e Diretor Geral do Centro Oncológico Antonio Ermírio de Moraes, na Beneficência Portuguesa de São Paulo – CRM 45405

Mas o que acontece na pele e quem está mais sujeito ao melanoma?

Para compreender o melanoma, é importante conhecer um pouco sobre a anatomia da pele, o maior órgão do corpo humano.7 A camada externa da pele (epiderme) contém células chamadas de melanócitos, responsáveis pela produção de melanina. A melanina é o que dá a cor e a pigmentação da nossa pele.8 Com o tempo, e a exposição elevada aos raios ultravioleta, sejam naturais ou artificiais, especialmente na pele clara e com muitas manchas, pode ocorrer uma danificação no DNA dessas células chamadas de melanócito.9

O melanoma, então, é a transformação dos melanócitos em células cancerígenas do melanoma e seu crescimento desordenado, principalmente após a alta exposição aos raios ultravioletas.9 Vale destacar que, além dos fatores externos já mencionados, existe uma propensão hereditária ao desenvolvimento do melanoma, ou seja, quem tem histórico familiar da doença (mãe, pai, irmãos ou filhos) está até 50% mais sujeito ao seu desenvolvimento.9

Em relação ao melanoma de pele, o fator mais importante é o sol, principalmente queimaduras solares intermitentes antes dos 15 anos de idade. Pacientes que tem muitas pintas no corpo e pele clara tem um risco maior de desenvolver melanoma e devem ser seguidos por dermatologistas especializados.

- Dr. Antonio C. Buzaid, médico membro do Centro de Oncologia do Hospital Israelita Albert Einstein e Diretor Geral do Centro Oncológico Antonio Ermírio de Moraes, na Beneficência Portuguesa de São Paulo – CRM 45405

A importância do diagnóstico precoce

A boa notícia é que se diagnosticado no início, o melanoma quase sempre pode ser curado, por meio de cirurgia.10 Para isso, é fundamental que haja conhecimento e entendimento da população sobre o câncer de pele, métodos de prevenção e de diagnóstico, com acompanhamento médico frequente.

Além disso, já existe uma série de estudos e pesquisas em andamento na área, que possibilitará entender melhor o mecanismo de ação do melanoma e, com isso, alternativas mais eficazes de tratamento para cada tipo específico de melanoma. Recentemente, os estudos estão focando em vias genéticas específicas do melanoma. Com esse avanço, basta um exame genético para determinar por qual tratamento o paciente será beneficiado.11

Conheça o “ABCDE do melanoma e os estágios da doença .

Referências

1. Organização Mundial da Saúde (OMS). Globocan 2012: Estimated Cancer Incidence, Mortality and Prevalence Worldwide in 2012. Disponível em: http://globocan.iarc.fr/Pages/fact_sheets_population.aspx. Acesso em 13 de dezembro de 2013.
2.BONFÁ et al. A precocidade diagnóstica do melanoma cutâneo: uma observação no sul do Brasil, An Bras Dermatol, Rio de Janeiro;86(2):215-212011.Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/abd/v86n2/v86n2a03.pdf. Acesso em 13 de dezembro de 2013.
3.OLIVEIRA,L.M.C, GLAUSN, PALMAA., Hábitos relacionados à exposição solar dos professores de Educação Física que trabalham com atividades aquáticas,An Bras Dermatol., Rio de Janeiro, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/abd/v86n3/v86n3a04.pdf.
4.SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA -SBD , Rio de Janeiro,2011. Disponível em: http://www.sbd.org.br/campanha/cancer/sobre.aspx. Acesso em: 15out. 2011.
5.Canadian Cancer Society. Melanoma: deadliest type of skin cancer is on the rise. Disponível em: https://www.cancer.ca/en/about-us/for-media/media-releases/national/2014/2014-canadian-cancer-statistics/?region=on. Último acesso em abril de 2016.
6.Melanoma Skin Cancer. American Cancer Society. Melanoma Skin Cancer. Disponível em: http://www.cancer.org/acs/groups/cid/documents/webcontent/003120-pdf.. Último acesso em abril de 2016.
7.Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). Disponível em: http://www.sbd.org.br/informacoes/sobre-a-dermatologia/. Último acesso em abril de 2016.
8.Melanoma Research Foundation. Is it melanoma? Disponível em: http://www.melanoma.org/understand-melanoma. Último acesso em abril de 2016.
9.Skin Cancer Foudation. Melanoma Causes and Risk Factors. Disponível em: http://www.skincancer.org/skin-cancer-information/melanoma/melanoma-causes-and-risk-factors. Último acesso em abril de 2016.
10.American Cancer Society. Surgery for melanoma skin cancer. Disponível em: http://www.cancer.org/cancer/skincancer-melanoma/detailedguide/melanoma-skin-cancer-treating-surgery. Último acesso em abril de 2016.
11.SFINN,L., MARKOVIC S.N., JOSEPH, R.W. Therapy for metastatic melanoma: the past, present, and future. BMC Med. 2012 Mar 2;10:23.Disponível em: http://www.skincancer.org/skin-cancer-information/melanoma/melanoma-causes-and-risk-factors.