Insuficiência cardíaca aguda

O que é insuficiência cardíaca aguda

A insuficiência cardíaca aguda (ICA) em geral acontece quando o quadro de um paciente com insuficiência cardíaca crônica (ICC) torna-se descompensado, isto é, quando os sintomas da doença pioram rapidamente, ele se sente mal e precisa ser atendido no hospital.1 Mas é importante ressaltar que a insuficiência cardíaca aguda também pode se apresentar em uma pessoa sem histórico de insuficiência cardíaca crônica (ICC).2

A doença é comum – atinge mais de 20 milhões de pessoas no mundo3 –, e potencialmente fatal. Apesar disso, poucas pessoas entendem esta condição e conhecem seus riscos. A insuficiência cardíaca aguda ocorre quando o coração do paciente não consegue bombear quantidade de sangue suficiente para levar oxigênio e nutrientes para o organismo, resultando na necessidade de uma intervenção médica de urgência. 3-5

A insuficiência cardíaca aguda é a principal causa de internação hospitalar em pacientes com idade acima de 60 anos.

- Dr. Dirceu Rodrigues Almeida, Professor-orientador do Programa de Pós-Graduação em Cardiologia do Departamento de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e Presidente do Departamento de Insuficiência Cardíaca da Sociedade Brasileira de Cardiologia. CRM 53852

Apesar de avanços recentes sobre o entendimento da doença, ainda há algumas limitações em relação aos procedimentos, desde o seu diagnóstico até o tratamento.6

Uma pesquisa do Departamento de Insuficiência Cardíaca (DEIC) da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) traçou o perfil dos brasileiros com insuficiência cardíaca, crônica e aguda. O resultado deste estudo do DEIC é alarmante: dos brasileiros internados com ICA, 12,5% morrem no hospital (após a internação do paciente por um episódio agudo de IC), enquanto na Europa o percentual é de 6,7% e nos Estados Unidos é de 4,2%.7

A ICA pode acometer o indivíduo em qualquer idade, mas sua frequência maior predomina acima dos 60 anos e com um aumento progressivo à medida que a idade avança, acometendo aproximadamente 10% das pessoas acima dos 70 anos.

- Dr. Dirceu Rodrigues Almeida CRM 53852

Referências

1. Mosterd A, Hoes AW. Clinical epidemiology of heart failure. Heart. 2007 Sep;93(9):1137-46.
2. Hospital Albert Einstein. Insuficiência cardíaca: muitas causas, muitas soluções. Disponível em: http://www2.einstein.br/einstein-saude/pagina-einstein/Paginas/insuficiencia-cardiaca-muitas-causas-muitas-solucoes.aspx. Último acesso em junho de 2016.
3. Zannad F. et al. Heart failure burden and therapy. Europace. 2009;11:v1-v9.
4. Harrison’s ‘Principles of Internal Medicine’, Seventeenth Edition pages 1442 - 1455.
5. Gheorghiade M, Pang P. Acute heart failure syndromes.Journal of the American College of Cardiology. 2009;53(7):557-73
6. II Diretriz Brasileira de Insuficiência Cardíaca Aguda. Disponível em: http://publicacoes.cardiol.br/consenso/2009/diretriz_ica_93supl03.pdf Último acesso em outubro de 2014.
7. Registro Brasileiro de Insuficiencia Cardiaca- Estudo BREATHE - Arq Bras Cardiol in press.