Insuficiência cardíaca

O que é insuficiência cardíaca (IC)

A insuficiência cardíaca (IC) – ocorre quando o músculo do coração começa a falhar e torna-se incapaz de fornecer sangue suficiente para atender as necessidades do organismo ou quando fica enrijecido. Nestas duas situações o coração passa a bombear menos sangue do que deveria para suprir totalmente as necessidades do organismo, ou o coração torna-se parcialmente enrijecido, perdendo a capacidade de relaxar sua musculatura e receber todo o sangue que volta para ele. Em algumas pessoas as duas formas ocorrem simultaneamente.1

A insuficiêndcia cardíaca normalmente se desenvolve em decorrência de condições prévias que podem lesar o coração. Entre as principais causas de insuficiência cardíaca estão: infartos, pressão alta, abuso de álcool/drogas, defeitos cardíacos congênitos, doença muscular do coração ou inflamação do coração. Há outros fatores que podem danificar o coração e levar à insuficiência cardíaca como anemia, coração arrítmico, glândula tireóide super ativa, infecções, doença renal. Além disso, a diabetes pode agravar o quadro da doença.2

Uma pesquisa do Departamento de Insuficiência Cardíaca (DEIC) da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) traçou o perfil dos brasileiros com insuficiência cardíaca. Entre os principais fatores de risco no país estão: pressão alta (70%), diabetes (34%), histórico de infarto (27%) e insuficiência renal crônica (24%).3

A doença é mais comum em pessoas com mais de 65 anos e acima do peso. Apesar dos homens apresentarem mundialmente maior prevalência da doença, no Brasil, segundo o DEIC, 60% dos pacientes diagnosticados são mulheres acima dos 60 anos.3

Quando os sintomas da insuficiência cardíaca pioram ou são muito intensos, atrapalhando o dia a dia dos pacientes, é preciso conversar com o médico para reavaliação do tratamento. Hoje já existem no Brasil diferentes opções de tratamento para a insuficiência cardíaca, incluindo opções que possibilitam a redução da mortalidade e das hospitalizações recorrentes, entre outras complicações, trazendo mais qualidade de vida para quem convive com a IC.4

A IC no Brasil e no mundo

No mundo, mais de 20 milhões de pessoas sofrem de insuficiência cardíaca,5,6 o que representa um custo anual de mais de USD 40 bilhões para a economia global.7-9 Em 2030, este custo deverá dobrar10 e o número de pacientes aumentar em 25% nos EUA.11 No Brasil, os dados também são alarmantes: são 100 mil novos casos de insuficiência cardíaca (IC) diagnosticados a cada ano.12

A insuficiência cardíaca é uma doença que surge como consequência de uma agressão ao coração ou sobrecarga, condições que o enfraquecem ou que dificultam seu enchimento, aumentando a pressão no órgão.

- Prof. Dr. Edimar Alcides Bocchi, professor-associado da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), chefe do Núcleo de Insuficiência Cardíaca do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP – CRM 36.179

Dados alarmantes sobre a insuficiência cardíaca:

- A insuficiência cardíaca é uma doença com alto risco de morte: cerca de 50% dos pacientes não estarão vivos após 5 anos do diagnóstico13,14

- A insuficiência cardíaca é a principal causa de hospitalização em pessoas com mais de 65 anos15

- A insuficiência cardíaca provoca de duas a três vezes mais mortes que cânceres avançados, como o de intestino e de mama15

- Pessoas com IC enfrentam repetidas internações e sintomas que impactam profundamente em sua qualidade de vida16

- Mesmo sendo uma doença que afeta muitos brasileiros, ainda há pouco conhecimento sobre a insuficiência cardíaca pela população17

- A insuficiência cardíaca representa um peso importante e crescente para a economia de saúde, gerando um gasto de R$ 14 bilhões para a economia do Brasil somente em 201517

Referências


1. Heart failure matters. What goes wrong in heart failure? Disponível em: http://www.heartfailurematters.org/en_GB/Understanding-heart-failure/What-goes-wrong-in-heart-failure. Acessado em 21/06/2017.
2. Heart failure matters. What causes heart failure? Disponível em: http://www.heartfailurematters.org/en_GB/Understanding-heart-failure/What-causes-heart-failure Acessado em 21/06/2017.
3. Albuquerque DC, Souza-Neto JD, Bacal F, et al. I Brazilian Registry of Heart Failure – Clinical Aspects, Care Quaility and Hospitalizations Outcomes. Arq Bras Cardiol 2015 104(6)433-442.
4. Ponikowski P, Voors AA, Anker SD, et al. 2016 ESC Guidelines for the diagnosis and treatment of acute and chronic heart failure. Eur J Heart Fail. 2016 Aug;18(8):891-975.
5. Zannad F, Adrinier N, Alla F. Heart failure burden and therapy. Europace 2009 Nov; 11 Suppl 5:v1-9.
6. Gheorghiade M & Pang S. Acute heart failure synfromes. J Am Coll Cardiol. 2009 Feb 17;53(7):557-73.
7. Neumann T, Biermann J, Erbel R, et al. Heart failure: the commonest reason for hospital admission in Germany: medical and economic perspectives. Dtsch Arztebl Int. 2009 Apr;106(16):269-75.
8. Berry C, Murdoch DR, McMurray JJ. Economics of chronic heart failure. Eur J Heart Fail. 2001 Jun;3(3):283-91.
9. Stewart S, Jenkins A, Buchan S, et al. The current cost of heart failure to the National Health Service in the UK. Eur J Heart Fail. 2002 Jun;4(3):361-71.
10. Cowie MR, Anker SD, Cleland JGF, et al. Improving care for patients with acute heart failure: before, during and after hospitalization. ESC Heart Failure 2014;1:110-145.
11. Heidenreich PA, Albert NM, Allen LA, et al. Forecasting the impact of heart failure in the United States: a policy statement from the American Heart Association. Circ Heart Fail. 2013 May; 6 (3): 606-19.
12. G1. 100 mil novos casos de insuficiência cardíaca são registrados todos anos no Brasil. Disponível em: http://g1.globo.com/mato-grosso-do-sul/videos/t/todos-os-videos/v/100-mil-novos-casos-de-insuficiencia-cardiaca-sao-registrados-todos-anos-no-brasil/3518267/ Último acesso em junho de 2017.
13. Loehr LR, Rosamond WD, Chang PP, Folsom AR, Chambless LE. Heart failure incidence and survival (from the Atherosclerosis Risk in Communities study). Am J Cardiol. 2008;101(7):1016-1022.
14. Lloyd-Jones et al. Heart disease and stroke statistics--2010 update: a report from the American Heart Association. Circulation. 2010;121:e46-21510.
15. Stewart et al. More ‘malignant’ than cancer? Five-year survival following a first admission for heart failure Eur J Heart Fail. 2001;3:31532211.
16. McMurray JJV, Packer M, Desai AS, et al. Angiotensin–Neprilysin Inhibition versus Enalapril in Heart Failure.N Engl J Med 2014;371:993-1004.
17. Stevens B, Pezzullo L, Verdian L et al. The Economic Burden of Heart Diseases in Brazil. World Congress of Cardiology & Cardiovascular Health 2016 Poster code: PS023.

Referências do vídeo
1. American Heart Association. Acessado aqui em abril de 2014.
2. Harrison’s ‘Principles of Internal Medicine’, Seventeenth Edition pages 1442 - 1455.
3. TNS UK Limited, March 2014. Survey of 11,000 members of the public aged 50+ years old in Europe, funded by Novartis.
4. Stewart et al. More ‘malignant’ than cancer? Five-year survival following a first admission for heart failure Eur J Heart Fail. 2001;3:315322.
5. Zannad F. et al, Heart failure burden and therapy, Europace 2009, 11; v1-v9.
6. Gheorghiade M, Pang P Journal of the American College of Cardiology 2009; 53 (7):557-73.
7. Heidenreich P A, et al, Forecasting the Impact of Heart Failure in the United States: A Policy Statement From the American Heart Association, Circ Heart Fail. 2013 May; 6(3):606-19.
8. Go et al, Heart Disease and Stroke Statistics--2014 Update: A Report From the American Heart Association, Circulation 2014, 4;129:e28-e292.
9. Lloyd-Jones DM et al. Lifetime risk for developing congestive heart failure: the Framingham Heart Study. Circulation 2002;106:3068–72.
10. Healthcare Cost and Utilization Project 2009 (http://www.hcup-us.ahrq.gov/reports/factsandfigures
/2009/pdfs/FF_2009_exhibit2_4.pdf
).
11. Forman et al. Influence of age on the management of heart failure: Findings from Get With the Guidelines–Heart Failure (GWTG-HF). Am Heart J. 2009;157:1010-1017.
12. Neumann et al. Heart failure: the commonest reason for hospitalization in Germany—medical and economic perspectives. Dtsch Arztebl Int. 2009;106:269–75.
13. Berry et al. Economics of chronic heart failure. Eur J Heart Fail. 2001;3:283291.
14. Stewart et al. The current cost of heart failure to the National Health Service in the UK. Eur J Heart Fail. 2002;4:361371.
15. Cowie et al, Improving care for patients with acute heart failure: before, during and after hospitalization, 2013. Oxford Pharmagenesis .
16. Remme W J et al, Public awareness of heart failure in Europe: first results from SHAPE, European Heart Journal (2005),26;2413–2421.
17. Selby et al, What’s new in the treatment of acute heart failure? Curr Cardiol Rep, 2013,15:393.